7 pensamentos destrutivos para o seu negócio

7 pensamentos destrutivos para o seu negócio

Ainda que de forma involuntária, muitos empresários adotam atitudes que só atrapalham o sucesso da empresa. A culpa não é só do mercado!

 

Ter um negócio não é simples. Exige estratégia e, agora mais do que nunca, uma mentalidade vencedora. Mas não são raros os momentos em que escuto, nas consultorias, frases que me fazem pensar: essa pessoa quer mesmo fechar a empresa e ir embora para casa? Ainda que racionalmente o empreendedor acredite que está fazendo todo o possível para construir um negócio de sucesso, suas atitudes mostram o contrário. 

Em mais de um ano de pandemia, nos reinventar é uma necessidade diária. A venda digital se tornou, muitas vezes, o canal mais expressivo de comunicação e geração de rentabilidade. Mas aí vem a frase “Vender online tira o meu cliente da loja”. Perdi as contas de quantas vezes escutei isso como uma premissa de se isentar da responsabilidade de mudar e colocar a culpa no mercado ou no cliente. Acredite: a loja online não vai retirar seu cliente da loja, pois o digital é uma extensão do físico. A multiplicidade de canais amplia suas oportunidades de ser visto, desejado e efetivamente fazer uma conversão em venda. 

E dos mesmos autores, vem a afirmação “Investir no digital dá muito trabalho e custa caro”. Tem razão: dá trabalho mesmo, mas a escolha é sua – ter trabalho e vender, ou ficar parado e fechar seu negócio. O que prefere? E quanto a ser caro, há um grande equívoco. Conheço diversas empresas que buscaram orientação, treinaram o time e hoje desempenham um excelente trabalho de vendas digitais executado pela própria equipe. O que precisa ficar claro é que nem todo investimento é financeiro. Há investimento de tempo, intelecto e claro, de disponibilidade. 

Logo, não vale também usar a prerrogativa de “Não tenho estrutura para isso”. Vi, de perto, padarias, supermercados, restaurantes e docerias negociando com funcionários para que no tempo ocioso desempanhassem atividades de atendimento e entrega; usando da estrutura que a própria loja já possuía e realizando pequenas adaptações; adaptando embalagens, mobiliário e mix de produtos para o atual cenário. Ferramentas gratuitas como o Goomer (cardápio digital) e o Estúdio de Criação (para agendar postagens de redes sociais) possuem versões gratuitas. Se eu pudesse te sugerir uma estrutura básica seria o smartphone, acesso à internet, impressora térmica, uma mesa e se tiver, um computador. 

E quando o empresário ainda está resistente, a culpa vai para o consumidor. Em geral, percebo esse pensamento com o argumento de “Meu cliente não tem perfil para comprar assim”. A minha resposta é sempre certeira: o seu cliente não tem perfil para comprar ou você não tem o perfil para vender? Pare de criar obstáculos para a venda! Se você exige demais, coloca restrições e não está aberto a se adaptar, o consumidor vai para a concorrência. Busque sempre facilitar a compra, dê retornos rápidos e seja flexível.

Falando em resiliência, vejo o quanto poucas empresas estão preparadas para as vendas em canais próprios, usando o Whatsapp Business ou loja virtual, por exemplo. Aí para não falar que estão fora da internet, afirmam vender só pelos aplicativos de terceiros. O argumento é sempre o mesmo: “Eu só uso app de terceiros aqui da minha cidade”. Ótimo! Você não tem nenhum cliente, pois na verdade o cliente é do aplicativo. Se o app encerrar hoje as atividades, você volta à estaca zero. Vender de forma digital é mais do que só fazer uma entrega. Vender online é comunicar, encantar, promover experiência – e não há ninguém mais capacitado para fazer isso do que a sua equipe. 

Quando o empresário olha para o lado, vê o mercado como lhe convém e justifica “Por que eu vou fazer se meu concorrente não faz?”. O primeiro ponto que chamo a atenção é para você parar de se preocupar com a grama do vizinho enquanto seu quintal estiver cheio de entulho. E falando de concorrência, apresento à você a concorrência invisível: marketplaces que vendem de tudo – inclusive alimentos! Já pensou que o seu cliente deixou de comprar contigo porque está gastando na loja.com? Concorrência não é só o que você vê!

“Emerson, estou no meio de uma crise. Vou esperar isso tudo passar, pois vai voltar ao normal”. Bom, para qual normal você acha que vamos voltar? Ao normal de 2019, quando as vendas digitais eram mera conveniência e o cliente ia na loja todos os dias? Não se engane, pois essa realidade não existe! Não é pessimismo, mas veja como o mercado de alimentação se comportou em países com amplo percentual de vacinação. A retomada do varejo foi em um gráfico vertical, mas as vendas digitais não caíram de forma expressiva. Isso acontece porque o cliente já se habituou e vai manter hábitos que já foram incorporados na rotina. 

O objetivo deste texto é te alertar, com muito respeito, sobre as atitudes que você mesmo anda tendo no seu negócio. Pensamentos são capazes de nos elevar ou de nos destruir. Antes da ação, vem a reflexão. Pense melhor se o mercado anda mesmo tão difícil ou se você é quem tem colocado mais obstáculos. O que a gente quer é o seu negócio prosperando! Se precisar de apoio, entre em contato comigo pelo @consultideal e vamos agendar uma conversa. Cuide-se, mantenha sua saúde física e mental – e mão na massa!

Share

Ideal Consult

Comments

  1. Carlos Freire Says: abril 20, 2021 at 11:55 am

    Muito bom

    Emerson.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Fale com a ideal