CADÊ O LUCRO QUE ESTAVA AQUI?

CADÊ O LUCRO QUE ESTAVA AQUI?

Identifique se sua empresa está em período de depressão financeira e saiba como sair dessa situação

***Emerson Amaral, diretor do Instituto de Desenvolvimento das

Empresas de Alimentação

O mundo atual está cada vez mais rápido e por isso algumas doenças se tornam mais comuns, a exemplo da depressão e a ansiedade.  No mundo dos negócios não é diferente e temos presenciado o surgimento de algo parecido. Podemos chamar de “depressão financeira”, uma “doença” da ausência de forças para enfrentar os desafios, do dia-a-dia ou não, justificada pela falta de dinheiro.  Obviamente essa “falta de dinheiro” se deve pela ausência de lucratividade e ausência de lucratividade se deve por não superar os desafios. O ciclo vicioso parece não ter fim.

Se você já se deparou, em algum momento, com questionamentos como os que pontuo a seguir e os encarou com as respostas exemplificadas, possivelmente você pode ter vivido algum momento dessa depressão financeira. Faça uma análise crítica:

  • Pergunta: Vamos implantar este novo produto?

Resposta: Não, pois meu cliente não compra este tipo de produto

  • Pergunta: Vamos desenvolver este novo serviço?

Resposta: Não, pois minha equipe não saberá desenvolver este tipo de serviço

  • Pergunta: Vamos ampliar nosso mix?

Resposta: Não, pois pode ser que os produtos vençam a sua validade e os perderei…

  • Pergunta: vamos desenvolver uma ação de vendas com a equipe?

Resposta: Não, pois – pode ser que – precisemos de dinheiro e não o tenho disponível…

Realmente a ausência de lucratividade pode gerar bloqueios de tal forma que proporciona uma inércia ao empresário.  Se dar conta desse status é fundamental para uma visão ponderativa, se permitindo olhar com o distanciamento necessário para as situações corriqueiras. Mas como sair desse espiral de debilidade?

Tenho orientado algumas ações que tem gerado resultados positivos. São elas:

INFORMAÇÃO: ter informação significa “saber o que está acontecendo” em sua empresa. A ausência de informação gera um clima de insegurança que contribui para travar o desenvolvimento de ações.  Para exemplificar essa situação, imagine que você está dirigindo um carro e o para-brisa está completamente escuro. Você tem segurança para dirigir este carro? Então é isso que bloqueia queM está à frente de um negócio.

CONTROLE: dando continuidade à analogia de se dirigir um carro, no caso do controle, significa você ter pleno domínio sobre o volante, ou seja, você é quem define para onde o carro deverá ir e o limita a ir na direção que você escolher.  Ainda nesta analogia, sabemos que nem sempre andamos em terrenos satisfatórios, mas podemos limitar e/ou amenizar os “deslizes”.

REAÇÃO: se você tem informação saberá onde sua empresa está. Se tem controle poderá direcionar sua empresa para o ponto desejado.  Como diz o velho ditado “para toda a ação, há uma reação”.  Essa situação só é possível se você seguir os passos anteriores de se ter informação e controle, pois a reação será um fato inevitável, como um reflexo, e impactará de forma direta no sucesso do negócio.

RESULTADO (LUCRO): sabemos que nem sempre as ações tomadas, sendo elas por “reflexo” ou não, são assertivas.  O dia-a-dia das empresas é como um jogo de xadrez em que não existe a opção de “não se jogar” e sim de que temos que tomar decisões a todo o momento na busca constante de se acertar. Lucro é uma consequência!

Essas ações nos dão forças para uma questão importante que é a ATITUDE para proporcionar mudanças.

Um outro desafio a ser superado é a DISCIPLINA, que é um dos grandes segredos de sucesso. Isso pode se aplicar ao esporte, saúde e por que não, ao mundo dos negócios.  O sucesso está na constância das pequenas ações e não em esporádicas (e muitas vezes irreais) grandes atitudes.  A todo momento somos bombardeados de questões que nos tiram do foco e nos fazem perder a disciplina, portanto é importante exercitar através de planejamentos e definição de metas.

Agora que já sabemos um caminho a seguir, é hora de colocar a mão na massa. Na prática, como está sua performance para obter lucro? Assinale abaixo as ações praticadas por você e sua equipe:

INFORMAÇÕES: volume de compras, volume de despesas, volume de vendas, ticket médio, fluxo de clientes, volume de perdas, volume de rupturas.

CONTROLE: apuração do DRE (demonstrativo do resultado do exercício), Estoque regulador, indicadores (vendas, produtividade), comparativo de crescimento.

REAÇÃO: planejamento estratégico, definição de metas, plano de ação, planejamento de marketing.

RESULTADO: Análise de performance dos dados, remuneração do capital investido, retorno do capital investido.

 

 

Tome as rédeas da situação, mantenha-se fiel aos valores e inicie um plano de trabalho imediato. Afinal, não há melhor remédio para depressão financeira do que o sucesso.

 

Share

Emerson Amaral

Emerson Amaral. Diretor do Instituto de Desenvolvimento das Empresas de Alimentação.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *